Terça Cultural

Começo esse artigo ouvindo aquele que representa o ponto alto da minha curiosidade e reviravolta nessa semana.
Já ouvi tantos aspectos negativos sobre ele que hoje só posso afirmar algo: engoli um preconceito, assistirei um filme que não leva lá muito a minha cara e de quebra me permiti respeitar um desconhecido sem correr qualquer risco de endeusá-lo. Por mais que belo e digno que me pareça nessa foto:

Imagem

Ontem meu cunhado e eu tivemos um dia cultural. Aceitei facilmente revisitar o Museu da Língua Portuguesa, a Pinacoteca e finalmente (!) conhecer o MASP. Faltou apenas ir ao (ainda inédito para nós) Memorial da Resistência de São Paulo, graças ao pouco tempo que tínhamos para fugir das chuvas ou terminarmos presos em qualquer alagamento.

É sobre isso que este post trata: a nossa aventura através da arte que atravessou séculos para nos encontrar! Vem comigo!

Museu da Língua Portuguesa

Imagem

Um edifício anexo a estação, próximo a saída da CPTM, abriga o Museu e seus três andares de exposição, conhecimento, jogos e entretenimento. Tendo resistido até mesmo a um incêndio há várias décadas, ele passou por reformas e restaurações, conta com elevadores e equipe de guias muito prestativos e simpáticos. Deve ser visitado por todas as idades, especialmente  a Melhor delas, que inclusive tinha um grupo representando a emoção e divertimento ao cantar uma bossa e reconhecer um verso.

No primeiro andar estão disponíveis jogos e um verdadeiro aparato de tecnologia apoiado com exposições relacionadas ao nascimento da língua, suas “linguasirmãs”, a evolução da comunicação e mesclagem que embalou nosso “idiomaterno” tão peculiar.

No segundo está a Exposição Temporária “Cazuza Mostra Sua Cara” onde estão expostos retratos que levam trechos de frases e poemas do músico. Depois seguimos para corredores que exibem vídeos com análises, entrevistas (com diversas personalidades do meio, antropologos, filósofos, doutores…) e linha do tempo do Cazuza ressaltando a história e movimentos sociais do país e do mundo. Não posso esquecer de comentar o quanto toda exposição foi feita a despertar os sentidos, nos colocando a caminhar por desníveis leves, por entre cortinas fatiadas, no escuro e até mesmo atendendo um telefone cujo ilustre “desconhecido” grita com inegável euforia. Destaque para os pertences do músico poeta que estão lá, com fios de cabelo dele e tudo.

Imagem

Já o terceiro andar, do auditório,  exibe em horários fixos um vídeo narrado pela voz perfeita da Fernanda Montenegro. Difícil acompanhar sem perceber quanto prazer existe numa língua quando nos damos o luxo de prestar atenção, sem fazer nada mais. Ao final do vídeo, somos conduzidos para um local amplo e uma das melhores experiências do MLP começa: no escuro vivenciamos o “planetário das letras”. Sem mais detalhes para não citar nenhuma das belezas escondidas ali.

No saguão está parte da 40ª. Exposição do Salão do Humor de Piracicaba  e onde também existem poemas, versos e obras nas paredes do corredor à direita.

Imagem

Pinacoteca

Imagem

O passeio logo do outro lado da rua. A arquitetura da Pinacoteca tem ares europeus e suas instalações são de uma beleza impecável, levando qualquer pessoa comum a se ater aos mínimos detalhes durante as primeiras visitas (eu ainda tenho o deslumbramento!). Também possui um grupo de profissionais mega educados e bastante prestativos. Fica ao lado do Jardim da Luz que por si só já é um passeio válido para qualquer um que aprecie a natureza e bons cuidados por parte do homem. O prédio que nasceu em 1873 como Museu de São Paulo jamais ganhou o revestimento ou a cúpula previstos, se tornou ginásio, liceu e só ganhou o título de Pinacoteca a partir de 1905.

Imagem

E agora começa o meu tormento: não sei descrever exatamente o quê, onde ou por quê. Acreditem! Sou mulher e não me esforço muito para lutar contra a falta de noção espacial que me acomete desde sempre. Acho importante relatar que o prédio possui três pavimentos e acesso a portadores de necessidades especiais, mas se você não precisar ande pelas escadas que são grandes, cansativas e nem por isso menos espetaculares.

Imagem

Na Pinacoteca encontramos pinturas, esculturas, desenhos, gravuras, fotografias, objetos de arte decorativa, móveis, esboços e tantas outras formas de arte que impressiona. Outro ponto que achei muito favorável é a interação que o núcleo realiza com os visitantes, permitindo que possamos opinar livremente através de escritos, gravando mensagem de áudio e incentiva a visitação a cursos, palestras e ainda oferece programas de apoio a arte. Também possui visitas monitoradas que encantarão baixinhos de todas as idades desfazendo qualquer impressão de que a arte se restringe ao caderno espiral ou uma folha A4.

Imagem

MASP

É… foi a minha primeira vez no MASP, acredita? E infelizmente não foi tão bom quanto eu pensei que seria. E mesmo tendo feito uma pausa deliciosa num fastfood, meu humor se alterou quando começou uma polêmica por conta do meu guarda-chuva. Ele não poderia ficar registrado na chapelaria (as etiquetas acabaram!) e tampouco circular comigo enquanto caminhava pelas dependências. Até entendo que eles não são obrigados a acreditar que não tenho motivos bater ou arranhar qualquer obra com ele, mas TODOS (sim, sem exceção) os funcionários foram tão grosseiros e antipáticos como poucas vezes vi. E uma nuvem negra e trovejante pairou acima da minha cabeça desprotegida: ano passado perdi três guarda-chuvas e não conseguia esquecer durante a exposição que o meu estava jogado numa escada caracol e que qualquer um poderia levá-lo se assim o quisesse (*).

Apesar do meu drama particular, como era de se esperar, não fiquei insensível diante de obras com mais de 500 anos, trabalhos famosos em várias mídias e de pintores altamente renomados como o Rafael. E tudo isso isso estava há menos de um metro de distância dos meus olhos! É impossível observar algumas delas e conceber como dentro de um período inferior a um ano conseguiram reproduzir elementos humanos, naturais, míticos e religiosos com tamanha nitidez e riqueza.

É claro que numa das sessões eu já estava afetada e pouco fiz além de traçar uma linha reta e andar, mas foi lá também que conheci a estátua de Diana (cuja réplica em miniatura já povoa minha mente) e os dois guerreiros chineses (ahhh que armaduras espetaculares!) que foram moldados e nasceram sob o olhar perfeito e talentoso que apenas mãos capazes de grandes feitos são capazes de realizar.

Aqui estão fotos e impressões minhas, por isso acho importante citar que os detalhes mais interessantes e dignos de admiração que chamariam a SUA atenção te aguardam lá, nesses e em tantos outros lugares onde só precisa levar uma única coisa: o olhar.

Imagem

Espero voltar lá com mais tempo, e de preferência tendo o convite e a companhia inesquecível do amado Matheus Stoppa, tão dedicado, empolgado, doce e inteligente que quase dá nojo. =)

Sobre dias, horários e valores:
1) Cada um dos sites linkados no começo do post contém informações para esclarecimentos;
2) Em 14 de Janeiro de 2014, pagamos apenas a visita a Pinacoteca;
3) É aconselhável reservar o dia inteiro para ir em cada um dos ambientes, pra evitar o corre corre que sempre prejudica o aproveitamento do passeio;
4) Lembrando que no MASP você não pode tirar foto nem pelo celular!

(*) Nota de esclarecimento:
Preciso informar que não se trata de mesquinharia minha pois ele custou mais de 20 reais (maior que o valor da entrada normal para o MASP!) já que daqueles paraguaios que quebram ao abrir eu realmente já estou farta.
>.<“

Anúncios

MicroContos (Revista Bula)

Imagem

Eu já tinha lido certa vez sobre eles, e juro que não tinha achado a menor graça. Alguns são imaginativos, mas não de uma forma conclusiva, como eu costumo gostar.

Minha tentativa de voltar a escrever morde várias vertentes, fico como uma daquelas pessoas que trabalha com várias telas de computador e painéis indicativos: querendo absorver tudo. Quero fazer algo tão legal quanto, no fundo… apenas me realizar.

Esse estilo trouxe – com alguns dos exemplos abaixo – algo muito intuitivo e simples, um joguete de palavras que mostra o quanto frases curtas podem ter efeito, e talvez eu arrisque algo assim também. Será um salto grandioso visto que escrevo muito, nem sempre tendo tanto assim a dizer.

“Um bom exercício imóvel e saudável”

As frases que mais me chamaram a atenção na matéria 30 contos de até 100 caracteres são estas:

“70 anos, algumas lágrimas, orelhas peludas.”
(Bill Querengesser)

“Uma vida inteira pela frente. O tiro veio por trás.”
(Cíntia Moscovich)

“A velha insônia tossiu três da manhã.”
(Dalton Trevisan)

“Conheceu a esposa em sua festa de despedida.”
(Eddie Matz)

“O homem estava invisível, mas ninguém percebeu.”
(José María Merino)

“A mulher que amei se transformou em fantasma. Eu sou o lugar das aparições.”
(Juan José Arreola)

“Fui me confessar ao mar. O que ele disse? Nada.”
(Lygia Fagundes Telles)

Eu não sei se sou escritor…

Eu não sei se sou escritor, mas sou observador, consigo perceber emoções mesmo nos locais mais inusitados…
Eu não sei se sou escritor, mas busco constantemente provocar todos os tipos de sentimentos para os que escrevo…
Eu não sei se sou escritor, mas sou escravo da emoção do outro…
Eu não sei se sou escritor, mas sou um torturador da lógica em prol de uma boa risada ou mesmo reflexão…
Eu não sei se sou escritor, mas sou sim um criador de histórias e um combinador dessas letrinhas em um fundo branco…
EU NÃO SEI SE SOU ESCRITOR, APENAS SEI QUE SINTO E ENXERGO O QUE ESTÁ O MEU REDOR…

Por Luiz Ehlers, originalmente postado aqui (leia na íntegra).

I Jornada Cultural – Santo André/SP (Confira agenda clicando na imagem)

                                                                        Um final de semana … Continuar lendo

Agenda: Casa da Palavra, Junho – Santo André/SP

Imagem

01.06 (sábado), às 14 h.

“O Sagrado Genesis 1” – palestra com o escritor, professor e engenheiro Genaro Esquivel Millas, abordagem científico-literária sobre início dos tempos até a criação do homem. Autor do livro homônimo.

04.06 (terça-feira), às 19h.

“O ciúme, a inveja e a cobiça – temas literários” – Palestra com o Padre Afonso Maria Oliveira SCJ onde abordará neste um tema recorrente na literatura universal de todos os tempos. Formado em Filosofia, música, Regência, Teologia, Parapsicologia, Psicologia Clínica e Pós-Graduado em Doenças Psicossomáticas, possui vasta experiência em palestras sobre formação humana, religiosa, cristã, médica e científica.

06.06 (quinta-feira), 14h. 30

“Como é bom ser bom” – palestra com a poetisa, jornalista e atriz Marina Rolim trazendo a vida de Martins Fontes. Detentora de vários prêmios literários e pertence a diversas Academias de Letras.

07.06 (sexta-feira), das 12 h. às 13h.

“Meio-dia com Poesia”espaço no horário do almoço onde teremos a presença do pianista Lucas Coelho e a apresentação literária de poetas da região.

08.06(sábado), 14h. – Jornada Cultural

“Recital Jornada Cultural” – apresentação lítero-musical com a participação especial da pianista e cantora Catia Lee.

08.06 (sábado), 16h. – Jornada Cultural

“Livro Clip – Animadas Letras Paulistas – Cine-video Jornada Cultural” – projeção de projeto premiado pelo programa de ação cultural (PAC), da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. O DVD do Projeto Animadas Letras Paulistas reúne informações sobre vida e obra de oito grandes escritores paulistas. São eles: Álvares de Azevedo, Oswald de Andrade, Mário de Andrade, Monteiro Lobato, Raduan Nassar, Haroldo de Campos, Hilda Hist e Menotti Del Pichia. Com trilhas sonoras de: Cachorro Grande, Pitty, Nação Zumbi, Cansei de Ser Sexy, Malu Magalhães, Funk Como Le Gusta, Teatro Mágico e Forgotten Boys.

08.06 (sábado), 18h. 30 – Jornada Cultural

“Festa Cigana” – Dança Cigana, agradecimento elementais, Cerimônia) com Dona Beni, palestra sobre cultura cigana (etnias),abrir cartas ler a sorte nas cartas, encerramento com Chá cigano

10.06 (segunda-feira) 14h.

“Dicas para falar em público” – Docente responsável: Prof. Dra. Rosineide de Melo da Fundação Santo André. O foco da palestra é abordar noções de comunicação em público apresentação de técnicas básicas, planejamento de apresentações e elaboração de recursos audiovisuais como também performance de linguagens verbais e não verbais.

11.06 (terça-feira) 14h.

“Encontro do grupo poético 4 Dedos de prosa” – reunião do grupo literário formado por escritores da região.

13.06 (quinta-feira), das 14 às 16h. – com vagas limitadas e inscrição prévia

“Fuxico Literário” – Roda de conversa resgatando a tradição popular de unir a oralidade literária à produção artesanal de fuxico, concomitante a canções de trabalho ritmadas.

15.06 (sábado), 14h.

“Conversa ao pé do fogão” – orquestra de violeiros sob o comando do maestro Bráulio de Moraes trazendo a cultura regional a Casa da Palavra com apresentação lítero-musical.

18.06 (sábado), 19h.

“Gestão Universitária: os caminhos para a excelência” – lançamento do livro de igual nome e palestra com a Professora Sonia Colombo, organizadora da obra. Psicóloga especialista em Administração de Empresas, Diretora executiva da Humus. Presidente da Comissão Científica do Congresso Internacional de Gestão Educacional (GEduc). Presidente da Comissão Avaliadora do PNGE. Consultora nas áreas de planejamento estratégico e Gestão de Pessoas. Com co-organização de Edélcio Sardano, professor de Economia, economista, especialista em Gestão Universitária, Higher Education Management DePaul University, Chicago, Institute of Education IOE University of London.

21.06 (sexta-feira), das 12 h. às 13h.

“Meio-dia com Poesia”espaço no horário do almoço onde teremos a presença do pianista Lucas Coelho e a apresentação literária de poetas da região.

22.06 (sábado), 14h.

“Recital Cordas e Poesia” – apresentação do violonista Eduardo Custódio. Aluno da Escola Municipal de Música de São Paulo, com violonista Paulo Porto Alegre. Membro da Orquestra de violões da Fundação das Artes. Participou do XX Seminário de violão Henrique Pinto, do I Festival de violão de São Paulo e do X, XI Seminário Internacional de violão Vital Medeiros. Masterclass com Fábio Zanon, Duo Siqueira Lima, Angêla Muner, Robert Trent (EUA) e Pedro Rodrigues (Portugal). Premiado em 7 concursos nacionais tendo ganhado o primeiro prêmio no XXI Concurso Nacional de violão Souza Lima (até 14 anos) e no XXXI Concurso Latino Americano Rosa Mística (até 16 anos).

29.06 (sábado), 14h.

“Sarau de Solstício de Inverno”apresentações lítero-musicais em comemoração à chegada do inverno, com a participação de poetas da região e a presença do pianista Lucas Coelho.

Serviços permanentes:

Biblioteca temática – de segunda a sextas-feiras das 10 h. às 17 h.

Troca de livros – de segunda a sextas-feiras das 10 h. às 17 h.

Onde fica?
Local: Praça do Carmo, 171, Centro – Santo André, SP.
Contato: 4992-7218

Apoio: Prefeitura Municipal de Santo André, WiermannMiranda e Protemp.